About Me


Projeto Partiu! #Testagem nas Escolas já testou 2.228 estudantes e funcionários

 Iniciado no último dia 18, o Projeto Partiu! #Testagem nas Escolas, que tem como objetivo identificar, monitorar e isolar casos da Covid-19 na comunidade escolar, já teve 2.228 amostras encaminhadas ao Laboratório Central do Estado (Lacen/BA). Dessas, 1.980 tiveram resultado “não detectável” para SARS CoV-2, 18 amostras foram positivas, seis foram classificadas com resultado laboratorial inconclusivo e 224 amostras estão em análise.



As amostras encaminhadas ao Lacen por meio do projeto foram enviadas por 12 municípios: América Dourada, Apuarema, Caravelas, Itanhém, Itapebi, Lajedão, Mairi, Medeiros Neto, Mirangaba, Salvador, Várzea da Rocha e Vereda. As 18 amostras com resultado reagente para SARS-CoV-2 são dos municípios de Itanhém, Itapebi, Medeiros Neto, Mirangaba, Salvador e Várzea da Roça.

Na Bahia, estão sendo empreendidos esforços para retorno gradual das aulas presenciais nos diferentes núcleos territoriais de educação. Até esta semana, 358 municípios manifestaram interesse em participar do Partiu! #Testagem nas Escolas. A proposta da Sesab, em parceria com os municípios, é realizar a testagem de até 180 mil funcionários e estudantes com idade superior a 13 anos da rede pública municipal e estadual, desde que estejam assintomáticos e participando das atividades presenciais. O projeto tem a duração de três meses.

De acordo com a titular da pasta estadual da Saúde, Tereza Paim, “estima-se que essa amostragem aleatória entre os indivíduos assintomáticos cubra até 20% da comunidade escolar”. Na eventualidade de resultados positivos para a Covid-19, os protocolos sanitários serão implementados de forma integrada entre o setor da saúde e educação, a exemplo de medidas de isolamento e monitoramento dos estudantes ou funcionários, bem como o rastreamento e quarentena dos contactantes diretos.



O prazo para adesão ao projeto piloto é até o próximo dia 31. Os resultados laboratoriais devem ser monitorados pelas secretarias municipais de saúde, de forma a garantir medidas de vigilância, prevenção e controle da Covid-19 no ambiente escolar, em tempo oportuno.

Protocolos sanitários

Para além do rastreamento dos casos assintomáticos, cada escola deve implementar uma estratégia padrão de rastreamento diário a partir de uma lista de sintomas, embasadas nos critérios clínicos. O engajamento das famílias é fundamental, pois devem se comprometer a não levar o estudante para a escola caso se apresente com sintomas gripais, além de procurar atendimento em unidade de saúde. O uso de máscaras, o distanciamento social e a higiene frequente das mãos são as medidas básicas para evitar a disseminação da Covid-19 na comunidade escolar.

Fonte: Ascom/Sesab

Postar um comentário

0 Comentários